quinta-feira, 7 de abril de 2011

Por que crianças?



Gente, passei o dia vendo notícias do massacre na escola em Realengo, no Rio, me perguntando o que aconteceu, já que nunca tivemos esse tipo de psicopatia típica americana. Sempre tento partir para o invisível, ver as manobras que ninguém vê, mas estou com dificuldades de entender o que houve aqui. No momento, só a idéia de obsessores poderosos e sinistros está na mesa, pois não vejo outras alternativas. Me solidarizo com os pais e famílias de todas as crianças. As que partiram, deixarão um vazio eterno. As que ficaram, viverão com lembranças horríveis. Enviemos luz e amor a essas crianças e às suas famílias para que o conforto chegue logo (porque na hora do baque, parece que não chegará nunca, mas chega). Fica aqui meus sentimentos profundos e meu desejo de que esse seja um fato único na história do Brasil. Foi o primeiro. Que tenha sido o último.

7 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Tu pergunta "por que?" e eles dizem "porque lhes dói mais". Há obsessores, alguns ainda estão vivos, mas eles só passam pela porta aberta.

Patrícia Balan disse...

Dá pra acreditar que foi nessa segunda que a gente ficou repetindo "criança não morre"? Para quem não tem como entender, vimos um filme em que o protagonista perde o irmãozinho em um acidente e não consegue acreditar, não consegue se desvencilhar do luto e não segue em frente.
O que é que a gente diz para uma mãe, um pai, um irmão, irmã ou coleguinha que está vivendo um troço que não pode estar acontecendo?!

Glópheis disse...

Querida Eddie, Chamo-me Glópheis, e sou um mago do magisteriado de Sião. Talvez não tenha conhecimento do que é o magisteriado, mas não vem ao caso (na dúvida pode me contatar no: magisteriadodesiao@gmail.com).
Sim muita dor e ao mesmo tempo muita naturalidade do devir das coisas.
Pretendo compartilhar meu ver disso tudo: As crianças! Se não fossem elas seria quem? Explico-me.
São os mestres quem nos ensinam o verdadeiro sentido da vida; do caminho a ser seguido; do ser das coisas. Os nossos maiores mestres são estes, a saber, as crianças. Nosso mundo está a muito clamando a nossa colaboração para enfrentar o terror - não a morte (nossa irmã que nos leva a uma vida plena) - e esse terror é a necessidade de matar que hoje por um desequilíbrio cultural vem afetando a nossa juventude desregrada e sem rumo. Só agora com a morte das crianças o desejo pela vida nos conduz a levantar o estandarte do amor para manifestar em nós a beleza do deixar-se ser. Sem nossos mestrezinhos da alegria, do amor e da inocência nos sentimos inquietos e devedores de ações mais nobres e firmes. Foi assim que a physis (natureza) conseguiu hoje nos clarear a consciência. Apelo a todos a não somente enviar luzes e orações e sim, agir para que isso não ocorra mais uma vez e dessa vez no nosso quintal.

Glópheis disse...

um pequeno erro: é magitradodesiao@gmail.com

tobias disse...

Eddie querida, todos nós estamos chocados com isso que aconteceu. Quem iria imaginar que um moço tão novo como ele teria a coragem de fazer o que ele fez?
Eu realmente acredito que ele sofria com obssesores muito violentos. Vamos todos nos unir esse final de semana para fazer oraçoes, meditarmos, e mandar-mos boas energias para as familias e para os que sobreviveram e carregaram essa lembrança triste para o resto de suas vidas.
Espero que todos sintam-se confortados logo e posam encontrar sustentaçao na nossa querida DEUSA.
Abraços e beijos para todos.
Fiquem em paz!
)o(

S Patricia disse...

Também acho que foi obra de obsessores..mas concordo com o Nanael. Decididamente o rapaz devia estar com uma energia muito baixa p/ q os obsessores tenham conseguido dominá-lo desse modo. Tem outra coisa q senti tbm bastante releante: ele estava muito triste, acredito que sofreu algum tipo de decepção, e essa tristeza o levou ao fundo do poço. Ele tbm é um espirito sofredor. Pena que não encontrou a luz antes de se deixar levar tão profundamente às trevas.

cemaramos disse...

Eu trabalho como Professora de uma escola da rede Municipal e com certeza está claro que o ocorrido nos faz pensar muito e principalmente despertar as famílias para uma maior conscientização do seu papel diante de seus filhos!