quarta-feira, 15 de julho de 2009

A gente faz o que pode com o que tem!

video

Sabe quando a gente quer fazer uma coisa, mas não encontra como? Pois é, a gente fica esperando o momento ideal, a situação ideal, o cenário ideal, mas no final, a gente acaba é simplesmente esperando, porque essa confluências de coisas ideais é muito rara. Só passei por aqui hoje pra dizer que a Wicca #55 já está nas bancas! Ela fala sobre a Amazônia, numa viagem que fiz recentemente até lá e que me abriu um mundo de informações que ainda estou digerindo.

A Wicca é feita com o coração, como são feitos os livros e meus bolos que saem meio tortos. Nenhum deles teve as condições ideais. Sempre tem algo que apressa o trabalho, uma obra interminável bem ao lado onde alguém sempre resolve martelar ou serrar na hora de maior concentração, um telefone que toca com um cobrador mal-criado de uma firma fictícia que dá faniquito assim que percebe que eu não sou uma completa imbecil e me grita o famoso "A SENHORA NÃO SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO!!!!!" E ouve um pouco mais do que isso, claro. Mesmo assim, todos os livros, Wiccas, Previsões, Alcatéias, Portais, Bolos de Chocolate e Pudins da Lua Cheia são concluídos, entregues e chegam às mãos de quem os merece. Não espere as condições ideais para realizar o que você sonha! Faça o que pode com o que tem! Fazendo com amor, sairá perfeito!

Deixo você com esse vídeo super legal sobre o que pessoas comuns podem fazer somente com o que elas possuem, nesse caso, a voz. Nenhum instrumento foi usado durante a gravação e nenhum animal foi ferido.

P.S.: Nunca - eu disse NUNCA - consegui escrever e entregar um livro ou um trabalho escrito com prazo folgado. Sempre - e eu disse SEMPRE - é em cima da hora, com um monte de coisas acontecendo, robôs gigantes quebrando tudo, alienígenas invandindo o mundo, panela no fogo, caldeirão aceso e cachorros latindo. E eu que me imaginava escrevendo num chalé, ao lado de uma lareira e um piano, com um lindo collie deitado no tapete, terminando calmamente meus livros, hoje me contento com a realidade. Termino correndo, descabelada, ao lado de uma janela com vista bonita, um teclado no lugar de um piano e uns vira-latas amarelos dormindo por perto. Agora já tenho uma collie! Só falta o tapete e a calma que acompanhava a cena. Abro mão da lareira.

2 comentários:

Ize Chi disse...

Olá, Eddie!
Primeiramente, gostaria de dizer que adoro seu trabalho! Leio todos os artigos que escreve, não importando em que revista saia.
Ultimamente, não ando conseguindo comprar a "Wicca", pois só encontro ela em uma banca no Centro da cidade, e não tenho tempo para ir lá... (hoje eu resolvo isso!)
Por isso, gostaria de saber se tem algum Wiccanique marcado. Adoraria ir em um! Antes, eu não me sentia pronta para encarar outros bruxos, mas agora, sinto que estou no momento certo! Eu também sou do Rio de Janeiro, moro na Tijuca. De lá posso ir para qualquer lugar =]
Obrigada pela atenção e que a Deusa esteja com você! (nossa, isso ficou meio "Star Wars"... rsrs)

Eddie disse...

Oi, Ize! Tudo bem? A Tijuca está cheia de bancas que vendem Wiccas, é só dar uma procurada. Tem na Afonso Pena e na Banca Calábria, na Praça Saens Peña, pertinho da Loja Marisa. Quanto aos Wiccaniques, uma pena que você nunca tenha ido a um. O Wiccanique acabou. Fizemos o último há algumas semanas. Ou meses! Sei lá. Você pode dar uma olhada nas fotos. E foi realmente uma pena você não ter ido, pois teria percebido que os outros "bruxos" eram pessoas muito parecidas com você que fizeram um monte de amigos! Um beijo e não deixe mais as oportunidades escaparem!