quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Você já andou uma milha a mais?

Aproveitando o repouso forçado do dente que tirei, fiquei vendo Napoleon Hill e adorei. A gente relembra um monte de coisas e uma delas ganhou um nome interessante: "Andar uma milha a mais!"
Para alcançar o sucesso, ele indica que sempre façamos mais do que a nossa obrigação. Isso eu sempre fiz, pois me foi ensinado por minha mãe e meu pai. Em alguns empregos, ganhei antipatia de "colegas" que se ofendiam em ver alguém fazendo o máximo, quando eles mesmos faziam o mínimo com determinação estoica!
Funcionou com o Napoleon Hill, funcionou comigo e funcionou com milhares de pessoas. Então, experimente isso! Ande uma milha a mais! Faça mais do que o esperado! DOE MAIS DE SI MESMO, mesmo que não esteja "sendo pago por isso". Isso o ajuda a alcançar a excelência e o valoriza como profissional, além de torná-lo um ser humano melhor.


quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

COMO ALCANÇAR SUAS METAS: EXERCÍCIO DO ESPELHO

Por Eddie Van Feu

“A maioria das pessoas não planeja a falha, e sim falha no planejamento.” 
John L. Beckley 




A primeira coisa que temos a fazer é definir o que você considera prosperidade. Na verdade, prosperidade é muito mais do que ter muito dinheiro. Há muita gente com dinheiro, mas sem saúde, sem amor verdadeiro, sem amigos e sem perspectivas. Há muita gente profundamente infeliz, mas com muito dinheiro. Essas pessoas podem ter dinheiro e posses, mas não são prósperas. Prosperidade é ter TUDO o que você deseja, na proporção do seu merecimento. É não ter limites e poder escolher se quer viajar de primeira classe ou na classe econômica. Quando você não tem essa escolha, você tem um limite e é esse limite que está irritando você nesse exato minuto (porque imagino que se este livro chegou às suas mãos, é porque era exatamente do que você estava precisando).

Um dia eu estava conversando com um casal de amigos e minha amiga, uma boa bruxa, estava reclamando de que ela sempre conseguia ajudar os outros a conquistarem o que queriam, mas não conseguia ajudar a si mesma. Então eu perguntei, interrompendo-a:

– E o que você quer?

Ela ficou confusa, olhou para o teto e disse, como quem ainda estivesse procurando as palavras certas:

– Eu? Ah, eu, assim, eu não quero nada...

E eu interrompi de novo:
– Então você está indo muito bem!

Basicamente, você precisa definir o que você espera da vida. Literalmente, o que estou perguntando aqui é:

“O que você quer ser quando crescer?”

Porque, como eu sempre digo, o vento não sopra na direção de quem não sabe pra onde vai. A primeira coisa de que você vai precisar é de um Livro das Realizações. Vá a uma papelaria e compre um caderno médio do seu gosto. Compre uma caneta nova também (azul) e mantenha-os sempre juntos, seja num saquinho de seda ou veludo, seja numa caixa de papelão. Neste caderno, você vai escrever seus sonhos, transformá-los em metas e especificar os caminhos que o levarão à conquista de cada uma delas. Este é um livro de magia, então é natural que você queira encantar seu caderno, o que será ensinado mais a frente. Primeiro, vamos fazer nosso primeiro exercício de visualização para ver até onde você quer chegar.




O Livro de Ouro da Prosperidade e Boa Sorte é uma bela aquisição para compreender as Leis da Prosperidade e aprender a trabalhar com ela. No momento, sua versão impressa está esgotada, mas você o encontra em e-book CLICANDO AQUI!


Do outro lado do espelho

Exercício para ver onde você quer chegar

Na sua casa, escolha um lugar calmo onde ninguém possa te interromper. Sem nenhum som (rádio ou TV), respire profundamente três vezes. Então, veja-se, na sua mente, como você é hoje, com seus problemas, suas dívidas, seu estresse e seu cabelo em pé. Diante de você há um espelho. Olhe pra esse espelho. Nele, você tem roupas finas, jóias, e possui beleza e juventude. Atravesse esse espelho e, do outro lado, pense em tudo o que você gostaria de ser e ter. Não há limites para isto. Veja sua vida em cenas, as coisas que você gostaria de poder fazer, os lugares que gostaria de frequentar, como gostaria de se vestir. Do outro lado do espelho, você tem tudo o que quiser, e faz o que mais gosta pra viver. Quando abrir os olhos, anote no seu Livro das Realizações o que viu e como se sentiu.

No dia seguinte, ou poucos dias depois, vá a um bonito parque público, desses com grandes árvores bem cuidadas e forte presença da natureza. Caminhe pelo parque e observe tudo a sua volta. Num lugar em que se sinta à vontade, deite-se na grama ou sente-se num banco e respire profundamente. Você vai fazer exatamente o mesmo exercício anterior. Ao terminar, verifique se houve mudanças e anote tudo no seu Livro das Realizações.

Alguns dias depois, você irá a um lugar onde nunca foi. Será um shopping que seja considerado, na sua cidade ou em outra, um lugar de alto nível. Você irá para lá, passeará olhando lojas calmamente e, depois de uma tarde passeando, vai parar em algum lugar e fazer o mesmo exercício. Se for possível, faça isso numa bonita cafeteria ou num fino restaurante, nem que seja pra pedir um copo d’água e um cafezinho.



E, finalmente, você vai dar uma passada numa banca de jornal e dar uma olhadinha em revistas voltadas para um público de alto nível, como a Forbes. Se der, compre. Se não der, apenas dê uma olhada mesmo. Então, alugue os filmes Homem de Ferro e Jerry Maguire. Você vai prestar atenção à vida de Tony Stark no primeiro, e na vida do personagem título no segundo. Olhe o nível de vida de cada um deles e imagine-se ali. Imagine-se em restaurantes e cruzeiros milionários, em ter avião particular e coisas com as quais talvez nunca tenha sonhado. Então repita o exercício de sempre e veja se algo mudou na sua visão de você dentro do espelho da prosperidade. Anote os resultados.

Todo esse processo é para você saber até onde quer chegar, não porque haja algum tipo de limitação. Você pode ir até onde quiser. Mas a prosperidade é um conceito muito pessoal e temos a péssima mania de nos compararmos aos outros. Na escola, se seu coleguinha tinha o tênis da moda, você ia chegar em casa pedindo um também. Hoje, se seu colega de trabalho tem um carro zero que parece uma nave espacial, você já começa a repensar o seu carro comprado ano passado e que, de repente, começa a se parecer com uma Kombi com os nomes dos seus filhos escrito no vidro de trás. Não se sinta mal, isso acontece, é da natureza humana. Tem mais a ver em se encaixar num padrão para ser aceito do que com a inveja propriamente dita.

Esse exercício de várias etapas aqui apresentado vai mostrar uma coisa a você. Nem sempre o topo é um lugar confortável. Para pessoas que querem se divertir com a família e os amigos, certas regalias são totalmente desnecessárias. Certas ambições são equívocos, e hoje a grande maioria das pessoas anda equivocada, pois a mídia diz que se você não tiver o tênis tal, não dirigir o carro tal e não beber o refrigerante tal, você não é O TAL. Você é um reles plebeu, um qualquer, um POBRE! E ninguém quer ser pobre. Só os pobres de espírito, esses fazem questão de ser pobres e se esforçam ao máximo pra isso, mas este é um outro tópico ao qual voltaremos até o fim do livro, se eu não esquecer.

Você precisa ser leal a si mesmo. Para algumas pessoas, uma casa bem grande é o seu grande sonho. Quando terminam de pagá-la, percebem que estão sempre viajando e que a casa é pouquíssimo aproveitada. Pense no que faz você realmente feliz. Esse exercício mostrará até onde você está disposto a ir, porque para conquistar a prosperidade, você terá que dar algo em troca, terá que trabalhar por ela. E esse trabalho exige tempo, que é a sua moeda mais preciosa. Seja honesto consigo mesmo e trace seu objetivo. A partir daí, fica mais fácil traçar suas metas.